Segunda, 14 de Junho de 2021
89 999900379
Política Servidores

Prefeito de Valença do Piauí, Marcelo Costa (PP), propõe parcelamento de salários de servidores em 42 meses

Caso o parcelamento de 42 meses proposto pelo prefeito Marcelo Costa com a anuência do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Valença do Piauí vigore, será a consumação de mais uma afronta ao servidor que vai ter que esperar até 2024 para ver tot

02/06/2021 16h11
Por: Redação Fonte: Ascom
Prefeito de Valença do Piauí, Marcelo Costa (PP), propõe parcelamento de salários de servidores em 42 meses

A proposta de parcelamento dos salários dos servidores municipais de Valença do Piauí referentes ao mês de dezembro, décimo terceiro e terço de férias, apresentada pelo Prefeito Marcelo Costa após ação judicial movida pelo Ministério Público que acolheu denúncias das vereadoras do PTB, Walmarya Moura e Rafaella Sampaio, soou como uma espécie afronta à pretensão das parlamentares.

A proposta de parcelamento parece uma piada, pois o mesmo prefeito que se dispõe a fazer licitações milionárias e a pagar altos salários para servidores contratados é o mesmo que não dá a devida atenção à situação do servidor que foi quem foi penalizado com a falta dos seus salários no mês de dezembro. Esperávamos uma proposta de parcelamento, mas ficamos estarrecidas com quantidade de meses. Parcelar em 42 duas vezes o salário de servidores que precisam receber os seus proventos é um absurdo”, declarou Walmarya Moura que tem lutado desde o início por uma solução do impasse.

Essa não é primeira vez que um gestor do município de Valença do Piauí recebe dívidas de gestões anteriores. Foi assim na passagem da gestão de Dr. Alcântara para a de Dr. Jarbas e depois deste para o próprio Dr. Alcântara.

Quando assumiu a prefeitura o também ex-prefeito, Walfredo Filho honrou sem parcelamentos com os salários de dezembro deixados pelo seu antecessor. Ceiça Dias, sucessora de Walfredo seguiu a tradição e também honrou o compromisso referente a dezembro.

De todos os gestores citados, apenas um apresentou proposta de parcelamento que foi ex-prefeito, Francisco Alcântara. Na época o então gestor solicitou autorização da Câmara de Vereadores para realizar os parcelamentos de salários deixados pelo ex-prefeito Jarbas Matias. O Poder Legislativo à época acatou o pedido que foi regulamentado pela Lei Municipal n.º 994 de 11 de abril de 2005. O Parcelamento de Dr. Alcântara, contudo, foi de poucos meses, bem diferente da atual proposta apresentada por Marcelo Costa.

Não compreendemos que tipo de crise é essa apontada pelo Prefeito que quando é para beneficiar, ou melhor, cumprir com um dever que é do município para com os servidores, o município está em crise, mas quando é para pagar serviços de empresas e pessoas contratadas principalmente por dispensas de licitações o município não está em crise. O que vemos uma verdadeira falta de priorização do servidor” disse Rafaella Sampaio uma das autoras da denúncia que ensejou no processo que obriga o gestor a honrar com os referidos pagamentos. 

Soa estranho o fato de a proposta ter a anuência do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Valença do Piauí – SINDSERV, já que segue assinada pelo seu Presidente, Carlos Wagner da Silva Rosa que é suplente de vereador da coligação de Marcelo Costa, e pai do atual Secretário de Esportes, Danilo Torres. Afinal o Presidente sempre foi um crítico ferrenho do pagamento de salários por faixa e hoje aceita com facilidade uma proposta de parcelamento onde o servidor receberá mensalmente, talvez bem menos que o valor da contribuição sindical descontada em folha pela Prefeitura de Valença para o SINDISERV. Realmente os tempos mudam e com ele algumas opiniões que passam de combativas para complacentes, mesmo em uma época de grandes dificuldades para quem ficou sem salário.

Caso o parcelamento de 42 meses proposto pelo prefeito Marcelo Costa com a anuência do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Valença do Piauí vigore, será a consumação de mais uma afronta ao servidor que vai ter que esperar até 2024 para ver totalmente restituído o um dinheiro que é seu por direito.