Segunda, 14 de Junho de 2021
89 999900379
Cidades Valença do Piauí

EDITORIAL: Um navio que pode afundar por falta de um comandante

Como diz o velho ditado popular “quando o navio estiver naufragando, os primeiros a saltarem são os ratos de porão”

17/05/2021 17h24 Atualizada há 4 semanas
Por: Redação Fonte: Redação/JF
EDITORIAL: Um navio que pode afundar por falta de um comandante

A população do Município de Valença do Piauí, nestes últimos anos tem comido o pão que o diabo amassou com escolhas de administradores que apenas estão preocupados em empregar apaniguados políticos nos cargos existentes no município.

O sofrimento da população e visível, principalmente com os mais carentes, os mais necessitados, falta Saúde, Educação, Lazer, Assistência Social, Assistência ao homem do Campo, Limpeza Pública, saneamento, ou melhor, falta tudo que não podia faltar à população de um município.

São políticos populistas, com discursos da promessa do vamos fazer tudo, o tapinha nas costas, a conversa para enganar os bestas, muito dinheiro, tudo isto antes das eleições, depois de vitorioso a população que se lixe, falta os requisitos mínimos para o bem estar de um povo, sobe a vaidade pessoal, arrogância, prepotência, e a Prefeitura serve apenas para uma meia dúzia de patrocinadores da campanha e nada que beneficie o povo.

A atual gestão segue o mesmo caminho, depois de cinco messes de mandato, o que se constata é o continuísmo, os mesmo vícios de administrações próximas passado, o uso do populismo, acompanhado por grupos de internet, apoiado por detentores de cargos no município, que recebem o dinheiro apenas para defender uma administração ineficiente, que estar à deriva por falta de um comandante.

Um gestor com pouca presença na sede do município, uma saúde de péssima qualidade, falta médicos, remédios, testes da Covid 19, é uma Saúde apenas para dizer que existe, uma Educação inexistente que já perdeu dois anos 2019, 2020, e caminha para findar 2021 com mais um ano perdido, ao mesmo tempo licita quase R$ 800.000,00 (oitocentos mil) de alimentos para merenda escolar até dezembro de 2021.

As outras secretarias servem apenas para cumprir a lei, e para colocar a disposição de políticos para se locupletarem colocando parente para proveitos próprios, as licitações realizadas com valores exorbitantes por coincidência ou não, 90% são ganha por correligionários de campanha que são amigos do rei.

O Prefeito de fato e de direito, que deveria determinar as ordens, deveria ser a ultima palavra, mostra fraqueza, falta de pulso, ele deveria ser o ator principal, é apenas um coadjuvante no mandato devido a prefeitura estar completa de atores e atrizes, que se julgam acima do gestor e se consideram ter ganhado as eleição no lugar do Prefeito, são arrogantes, prepotentes, que por muita vezes na internet usam de artifício teatral para sensibilizar para ter o do e a compaixão do povo, quando está comedia de circo ruim não tem êxito, procura através do grito, das ameaças de processos a pessoas de bem, ameaças de fechar os canais de comunicação que não recebem suas ordens, que não são subservientes, que  não obedecem seus caprichos, não aceita ser contrariada, quer ser sempre o centro das atenções, este tipo de pessoa não deveria conviver com o bem público que tem que ser democrático.

O senhor Prefeito Municipal deveria ignorar estes conselhos de ódio, rancor, buscar dialogar com o legislativo, os (vereadores) fazer um governo harmônico entre os poderes como determina a Lei Orgânica Municipal, adversário políticos não são inimigos são apenas adversários, procurar conversar com as comunidades, principalmente as mais carentes, zona rural e urbana, deixar de ser este governo de aparência, governo que não se entendem, são vários grupos dentro do governo disputando espaço, gerando vaidades pessoais, arrogância, prepotência, é uma disputa para saber quem é o mais forte.

O chefe do executivo tem que olhar as administrações passadas, analisar, ouvir a todos, pois estes correligionários de hoje já afundaram governos passados com estas mesmo atitudes,  são aliados que comem quatro anos, se o governo não estiver satisfatório no final eles buscam outros horizontes para habitarem e se dar bem, como diz o velho ditado popular “quando o navio estiver  naufragando, os primeiros a saltarem são os ratos de porão”.