Quarta, 14 de Abril de 2021
89 999900379
Especiais Valença do Piauí

Os cuidados com a questão de gênero, raça, inclusão e o combate a intolerância

Os interessados, nesse caso HOMENS e MULHERES, têm até o dia 30 de abril para realizarem suas inscrições

08/04/2021 23h42 Atualizada há 5 dias
Por: Redação Fonte: Redação
Os cuidados com a questão de gênero, raça, inclusão e o combate a intolerância

Secretaria Municipal de Cultura de Valença do Piauí anuncia oficinas, mas gera desconforto com a flagrante discriminação de gênero.

Foi noticiado em um portal local e através das redes sociais que a Secretaria Municipal de Cultura de Valença do Piauí promoverá oficinas. A ação seria louvável não fosse a forma como a Secretaria tem noticiado as referidas oficinas. O comunicado deixa claro que serão ofertados cursos para homens e para mulheres, deixando transparecer que oficinas de artesanato na palha de carnaúba, oficina de rede, tapetes e mochilas são atividades voltadas essencialmente para o público feminino, enquanto oficina de buriti, bambu e escultura em madeira e em pneus são atividades essencialmente masculinas.

A Secretaria de Cultura do município de Valença do Piauí poderia ter deixado o vexame de lado e anunciado a oferta de oficinas sem que necessariamente discriminasse o termo “PARA HOMENS” e “PARA MULHERES”, até porque pode haver interesse de mulheres, por exemplo, nas oficinas de escultura em madeira, e homens com interesse na de bordado. E os outros gêneros? E as pessoas que não se definem como mulher ou como homem? E os transsexuais, bissexuais, entre outros? A predefinição soa como discriminatória.

Em uma época em que se busca cada vez mais a inclusão e o combate a intolerância, a discriminação de gênero e qualquer outra forma de discriminação, definir numa secretaria oficinas “PARA HOMENS” e oficinas “PARA MULHERES” é algo incomum e bastante infeliz.

“Não podemos aceitar, em pleno o século XXI uma Secretaria que deveria fomentar as políticas públicas, principalmente na área cultural, ainda ter uma visão medieval e lançar uma oferta de oficinas que na visão deles é adequada para homens e para mulheres. Daí a pouco a gestão dirá que as mulheres são apenas para as prendas domésticas e que gays, lésbicas, transsexuais, bissexuais não podem participar de oficinas, pois tanto há quem se reconheça como homem ou como mulher, como quem não se reconhece. E o pior é querer definir quais oficinas são para homens e quais são para mulheres, quer dizer que eu não poderei participar das oficinas em pneus por eu ser lésbica”, indignou-se uma ativista que disse que vai levar o caso para conhecimento dos grupos que defendem a não discriminação de gênero.

Segundo informações da Secretaria Municipal de Cultura de Valença do Piauí, os interessados, nesse caso HOMENS e MULHERES, têm até o dia 30 de abril para realizarem suas inscrições na sede da Secretaria que fica localizada em novo endereço, na Praça José Martins, próximo à Câmara de Vereadores.