Segunda, 08 de Março de 2021
89 999900379
Política Valença do Piauí

Sem querer polemizar, vereador Kássio Gomes diz que Íris Moreira se alimenta, provavelmente, de fuxicos

O parlamentar afirmou que não está disposto entrar no ringue da incivilidade nem alimentar a estapafúrdia espetacularização do bateu levou porque os valencianos não aprovam esse comportamento. Contudo não se furtará de fazer as críticas quando forem neces

15/02/2021 22h30 Atualizada há 3 semanas
Por: Redação Fonte: Ascom/vereador
Sem querer polemizar, vereador Kássio Gomes diz que Íris Moreira se alimenta, provavelmente, de fuxicos

Indagado sobre um vídeo-resposta da Secretária de Governo, Íris Moreira, envolvendo uma crítica feita pelo parlamentar acerca da recusa por parte da Secretária em assinar as portarias das esposas dos vereadores Vanildo Castro e Benoni José, Kássio Gomes disse que a ex-vereadora se apóia, provavelmente, em fuxicos.

“Lamento que a Secretária não tenha compreendido e digerido bem uma crítica construtiva. Parabenizei os vereadores Vanildo Castro e Benoni José pela nomeação das esposas e lamentei o fato do documento de nomeação conter um erro, pois eram de origem da Secretaria de Governo, mas estava assinado pela Secretária de Administração. Ela, talvez apoiada em fuxico ou para se passar de vítima não sei ao certo a intenção, afirma que eu a agredi, o que não é verdade. Apenas questionei a validade do documento e sugeri que como ela não quer assinar, por razões pessoais, as portarias das senhoras Regina Mateus e Lilian Cavalcante, que se faça ao menos, por dever de justiça e para não constranger ainda mais as novas secretárias e o povo em geral, a emissão das portarias direto do Gabinete do Prefeito que é quem de fato e de direito tem o poder da nomeação. Não me conste que pedir isso seja agressividade...” disse o parlamentar.

A nossa reportagem acompanhou a última sessão da Câmara de Vereadores de Valença do Piauí e noticiou a fala do vereador Kássio Gomes que ao contrário do que afirma a Secretária, Íris Moreira, não teve nenhuma colocação agressiva. O parlamentar disse, inclusive, que respeitava a opinião da ex-vereadora, apesar de não concordar.

Ao tecer críticas sobre o documento e questionar a sua validade, Kássio Gomes acrescentou apenas que a vereadora na época também era contra a nomeação de parentes tanto que o havia criticado pelo fato de ter o seu cunhado trabalhando como supervisor pedagógico mesmo sem ônus para o município, pois era através de uma permuta de funcionários entre o Governo do Estado do Piauí e a Prefeitura de Valença, como ocorre até hoje. Lembrou o vereador que foi questionado por Íris Moreira, inclusive ali no parlamento, quando ela era vereadora.

E a resposta se deu apenas por um aparte do vereador Devaldo Nunes que tentou justificar.

Kássio Gomes reforçou ao colega de parlamento que, mesmo respeitando, achava estranha a justificativa da secretária, já que a mesma também se posicionava contra a nomeação de parentes e mesmo assim assinou portarias de vários, como é o exemplo da própria cunhada.

“Eu fui diversas vezes atacado nesta casa por ter o meu cunhado trabalhando no município, mas pelo menos não fui eu que o nomeei ou referendei sua nomeação. A nomeação partiu da Prefeita e foi referendada, na época, pela Secretária de Governo. Diferentemente de agora que quem referendou foi à própria cunhada”, lembrou Kássio Gomes.

Não houve nenhum termo pejorativo proferido pelo parlamentar na Sessão para se referir à Secretária de Governo.

“Quem me conhece sabe que eu não sou de destratar ninguém e até as minhas críticas são feitas dentro do limite da respeitabilidade, sem ataques infundados ou palavras desrespeitosas. Estranha-me ouvir a secretária afirmar que eu a chamei usando termo pejorativo naquela sessão”.

O parlamentar afirmou que não está disposto entrar no ringue da incivilidade nem alimentar a estapafúrdia espetacularização do bateu levou porque os valencianos não aprovam esse comportamento. Contudo não se furtará de fazer as críticas quando forem necessárias.

“Não sou de picuinhas, Welton Ferreira, e não irei aceitar entrar no ringue da incivilidade. Essa ideia estapafúrdia do bateu levou, como tivéssemos que tratar uns aos outros, como quem vive num campo de batalha constante é ridícula. A eleição passou. Se nem nela eu agi assim, não será agora que o farei. Mas não aceitarei a distorção de minha fala, nem deixarei de fazer as minhas críticas quando constatar os erros. Como disse não fiz prejulgamento da ação da secretária apesar de não concordar, também não agredi ninguém, apenas constatei os erros nas portarias, lamentei, e sugeri, por fim, a correção. A secretária, infelizmente, precisa entender que as críticas surgirão até porque as opiniões, como a dela em relação a esse fato, não são homogêneas, e precisam ser respeitadas nas suas individualidades e não colocadas como ponte da incivilidade.”, finalizou.