Terça, 04 de Agosto de 2020
89 999900379
Esportes Solução

Diretor financeiro do São Paulo esfria possibilidade de Cavani: "Não faz parte dos planos"

Elias Barquete Albarello detalha situação de caixa no clube e diz que não faz sentido fazer uma contratação desse nível para fazer um pagamento futuro

15/04/2020 21h48
Por: Redação Fonte: globoesporte.com
Diretor financeiro do São Paulo esfria possibilidade de Cavani:

 

O diretor executivo financeiro do São Paulo, Elias Barquete Albarello, esfriou a possibilidade de contratar Cavani, do Paris Saint-Germain.

Em entrevista à rádio "Transamérica", o dirigente explicou a situação de caixa do clube e respondeu sobre se financeiramente o São Paulo teria dinheiro para contratar Cavani.

– Não podemos fazer neste momento. Não há disponibilidade de recursos, evidentemente, pelo que estamos enfrentando. Não podemos imaginar uma irresponsabilidade de fazer uma contratação desse nível para um pagamento futuro. Não podemos mais trabalhar dessa forma. Até porque temos um orçamento aprovado pelo Conselho de Administração e Conselho Deliberativo, e esse orçamento precisa ser respeitado e cumprido. Respondendo objetivamente: entendo que isso não faz parte dos nossos planos pelo menos nos próximos meses – disse Elias.

O diretor financeiro do São Paulo projetou uma possível queda de receita na ordem de R$ 100 milhões por causa da crise pelo novo coronavírus.

 

– O São Paulo fez um movimento quase que inédito trazendo o Daniel Alves no meio do ano passado, coisa que não se imaginava, com um projeto que está em desenvolvimento, e sempre almeja evidentemente reforçar o elenco. No meu ponto de vista como torcedor o nosso elenco é de primeira grandeza. Não que evidentemente o Cavani não teria espaço ou qualquer outro. Lógico que sim. Mas não creio – disse Elias Albarello. 

– No momento que estamos passando, falando de uma perda de receita de centenas de milhões de reais, de uma indefinição ainda de quando vai ter o retorno do futebol, de uma contratação desse nível. Então entendo que isso não deva ocorrer. Pelo menos aqui não tem nenhuma discussão interna na diretoria ou com presidente. É talvez um desejo, mas creio que dificilmente a gente conseguiria fazer isso no momento, até porque temos que ter responsabilidade com os recursos – afirmou o diretor.