01 BANNER OFERTAS
Caso

Polícia pede prisão de mestre de obras suspeito de tentar matar estudante

O delegado Sérgio Alencar não divulgou o nome do suspeito porque aguarda o mandado de prisão preventiva ser expedido pela justiça.

21/07/2019 14h43
Por: Redação
Fonte: cidadeverde.com

O inquérito que investiga a tentativa de homicídio contra o estudante Gabriel Brenno Nogueira, 21 anos, já está em fase de conclusão. O delegado Sérgio Alencar, titular do 1º Distrito Policial, informou ao Cidadeverde.com que solicitou à justiça a prisão preventiva do suspeito de atirar no jovem. 

Gabriel foi alvejado com um tiro na cabeça ao sair da pensão onde estava hospedado, no Centro de Teresina. O crime aconteceu na manhã da última quarta-feira (17) e orapaz permanece internado em estado gravíssimo no Hospital de Urgência de Teresina. 

O suspeito de tentar matar Gabriel Brenno é um jovem mestre de obras e a motivação do crime seria passional. O estudante teria tido um caso extraconjugal com sua companheira. 

O inquérito que investiga o caso reúne provas que apontam a participação do mestre de obras no crime. Vigilantes que trabalham na região onde o a tentativa de homicídio aconteceu  informaram que viram o suspeito “rondando” a pensão nos últimos dias. A companheira dele também foi ouvida pela polícia. 

Desde o dia da tentativa de homicídio, equipes da Polícia Civil estão em diligência tentando localizar o suspeito do crime para prestar depoimento. “O próprio fato de suspeito não ser encontrado ou não ser apresentar já mostra que ele tem algo a esconder. Além de estar impedido a aplicação da lei penal”, disse o delegado Sérgio.

O delegado Sérgio Alencar não divulgou o nome do suspeito porque aguarda o mandado de prisão preventiva ser expedido pela justiça. 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários